Arquivos de sites

Erro: web.xml is missing and is set to true

E ai galera, beleza?

Está tomando o erro “web.xml is missing and <failOnMissingWebXml> is set to true” no seu projeto maven dentro do eclipse???

Então vamos corrigir esse erro!

  1. Clique com o botão direito no ‘Deployment Descriptor’ dentro do seu projeto no ‘Project Explorer’.
  2. Selecione a opção ‘Generate Deployment Descriptor Stub’.
  3. Pronto !!! 😀

Isso irá gerar a pasta ‘WEB-INF’ no src/main/webapp com o web.xml dentro.

Abraços!!!

Fonte: stackoverflow.com – Wojciechu

Anúncios

jQuery – Introdução ao AJAX

AJAX, abreviação para Asynchronous JavaScript And XML (XML e JavaScript Assíncronos), permite você carregar dados em background e mostra-lo na sua página web. Isso lhe permite criar websites com funcionalidade mais rica.Aplicações web populares como Gmail, Outlook Web Access, e Google Maps usam AJAX e extensivamente, para fornecer a você uma experiência mais responsiva, como desktop.

Usar AJAX pode ser um pouco complicado, porque os vários navegadores tem diferentes implementações para suportar AJAX. Normalmente isso irá lhe forçar a escrever código para responder de forma diferente, dependendo do navegador, mas felizmente, jQuery fez isso pra gente, que nos permite escrever AJAX funcionalmente com tão pouco quanto uma única linha de código.

Você deve estar ciente do fato que existe ambas vantagens e desvantagens ao usar AJAX na sua página, que significa que você deve sempre considerar cuidadosamente antes de decidir usar isso ao invés de fazer uma chamada comum de volta ao servidor. Aqui está um resumo:

Vantagens:

  • Sua página será mais prazerosa de usar, quando você pode atualizar partes dela sem um refresh, que faz o navegador piscar e rodar a barra de status.
  • Porque você apenas carrega o dado que você precisa para atualizar a página, ao invés de  atualizar a página inteira, você salva largura de banda.

Desvantagens:

  • Porque as atualizações são feitas pelo JavaScript no cliente, o estado não irá registrar no histórico do navegador, fazendo isso impossível de usar os botões Voltar e Avançar do navegador entre os vários estados da página.
  • Pelo mesmo motivo, um estado específico não pode ser favoritado pelo usuário.
  • Dado carregado através do AJAX não será indexado por qualquer dos maiores motores de busca.
  • Pessoas usando navegadores sem suporte JavaScript, ou com JavaScript desabilitado, não será capaz de usar a funcionalidade que você fornece através do AJAX.
    Os dois primeiros itens da lista podem ser contornados embora, tipicamente através do uso de um iframe e lendo e escrevendo dado de uma parte da URL depois do caractere “#”.

Nos capítulos seguintes, você irá aprender como usar várias funções AJAX relacionadas ao jQuery.

Fonte: jquery-tutorial.net

jQuery – Introdução a manipulação do DOM – Pegando e atribuindo conteúdo [text(), html() and val()]

Introdução a manipulação do DOM

Um dos mais importantes aspectos do JavaScript e desse modo jQuery, é a manipulação do DOM. O DOM significa Document Object Model (Modelo de Objeto de Documento) e é um mecanismo para representação e interação com nossos documentos HTML, XHTML ou XML. Ele lhe permite navegar e manipular seus documentos através de uma linguagem de programação, que no navegador será quase sempre JavaScript. A navegação e manipulação do DOM usando o JavaScript padrão pode muito complicado, mas felizmente para nós, o jQuery vem com um monte de métodos relacionado ao DOM, fazendo isso tudo muito mais fácil.

No primeiro exemplo “Hello, world!” desse tutorial, nós comparamos o trabalho de encontrar um elemento e atribuir um texto a ele usando primeiro jQuery e então JavaScript. Esta é apenas a ponta do iceberg, porém, e nos capítulos seguintes você verá como é fácil manipular o conteúdo dos seus documentos com jQuery.

Pegando e atribuindo conteúdo [text(), html() and val()]

O aspecto mais simples da manipulação do DOM é recuperar e atribuir text (texto), valores (valores) e HTML. Essas três coisas podem parecer a mesma coisa, mas elas não são. Text é uma representação literal (sem HTML) do conteúdo interno para todos os elementos normais, values são para elementos de formulário e HTML é o mesmo que text, mas incluindo qualquer marcação (markup).

Felizmente para nós, o jQuery vem com um método para cara um dos três, nos permitindo recuperar e atribuir essas propriedades: Os métodos text(), html() e val(). Aqui está um pequeno exemplo que mostrará a você a diferença entre eles e como eles são simples de usar:

<div id="divTest">
        <b>Test</b>
        <input type="text" id="txtTest" name="txtTest" value="Input field" />
</div>
<script type="text/javascript">
$(function()
{
        alert("Text: " + $("#divTest").text());
        alert("HTML: " + $("#divTest").html());
        alert("Value: " + $("#divTest").val());
        
        alert("Text: " + $("#txtTest").text());
        alert("HTML: " + $("#txtTest").html());
        alert("Value: " + $("#txtTest").val());
});
</script>

Então uma chamada  para um desses métodos sem parâmetros irá simplesmente retornar a propriedade desejada, Se nós queremos atribuir a propriedade em vez disso, nós simplesmente especificamos um parâmetro extra. Aqui está um exemplo completo:

<div id="divText"></div>
<div id="divHtml"></div>
<input type="text" id="txtTest" name="txtTest" value="Input field" />

<script type="text/javascript">
$(function()
{
        $("#divText").text("A dynamically set text");
        $("#divHtml").html("<b><i>A dynamically set HTML string</i></b>");
        $("#txtTest").val("A dynamically set value");
});
</script>

E isso é o quão fácil é para atribuir texto, HTML e valores.

Essas três funções vêm com uma sobrecarga a mais, onde você especifica uma função de callback como primeiro e único parâmetro. Essa função de callback será chamada com dois parâmetros pela jQuery, o índice do elemento corrente na lista de elementos selecionados, assim como o valor existente, antes dele ser substituído com um novo valor. Você então retorna a string que você deseja usar como o novo valor para função. Essa sobrecarga funciona para ambos html(), text() e val(), mas por motivo de simplicidade, nós apenas usamos a versão do text() neste exemplo:

<p>Paragraph 1</p>
<p>Paragraph 2</p>
<p>Paragraph 3</p>
<script type="text/javascript">
$(function()
{
        $("p").text(function(index, oldText) {
                return "Existing text: " + oldText + ". New text: A dynamically set text (#" + index + ")";
        });
});
</script>

Nós começamos com três elementos de parágrafos semelhantes, que o texto é a única diferença deles. No código jQuery, nós selecionamos todos eles e então usamos a versão especial do método text() para substituir o texto atual com um novo texto construído, baseado nos dois parâmetros que jQuery fornece a nós: O índice do elemento atual e também o seu texto atual. Esse novo texto é então retornado ao jQuery, que irá substituir texto atual pelo novo.

Fonte: jquery-tutorial.net / jquery-tutorial.net

Parte 7 (Final) – Tutorial de Ajax no Struts 2 com Exemplo

Bem vindo a ultima parte de uma série de 7 artigos de tutoriais do Framework Struts2, no artigo anterior nós vimos como implementar a funcionalidade de carga de arquivo (File Upload) no Struts2. Neste artigo nós vamos ver como nós podemos implementar o suporte Ajax em uma aplicação web usando o framework struts2.

Suporte AJAX no Struts 2

O Struts 2 fornece  suporte embutido a Ajax usando a biblioteca Dojo Toolkit. Se você é novo em Dojo, talvez você queira passar pela Introdução ao DOJO Toolkit (Em Inglês).

O Struts 2 vem com um poderoso conjunto de APIs de Dojo AJAX que você pode usar para adicionar suporte Ajax. A fim de adicionar suporte Ajax, você precisa adicionar o seguinte arquivo JAR no seu classpath:
struts2-dojo-plugin.jar

Uma vez que nós adicionamos esse arquivo JAR, nós precisamos adicionar o seguinte fragmento de código em qualquer arquivo JSP que nós precisamos adicionar o suporte Ajax.

<%@ taglib prefix="sx" uri="/struts-dojo-tags"%>

Primeiro defina a taglib sx que nós usaremos para adicionar as tags disponíveis de AJAX.

<sx:head/>

Adicione essa tag head no seu JSP entre as tags <head> … </head>. Essa tag sx:head incluirá os arquivos javascript e css necessários pra implementar o Ajax.

Exemplo AJAX: Ajax Drop Down (Combobox)  do Struts2

Vamos adicionar um simples suporte AJAX a nossa aplicação web StrutsHelloWorld. Nós usaremos o código base que nós usamos nos artigos anteriores e adicionar o Ajax no topo dele.

Nós criaremos um drop down (combobox) qual irá autocompletar e sugerir a entrada. Para isso nós iremos adicionar o suporte Dojo a nossa app web.

Passo 1: Adicionar o arquivo JAR

Como discutido anteriormente nós adicionaremos o struts2-dojo-plugin.jar no classpath (WEB-INF/lib). Assim, a seguinte é a lista dos arquivos JAR necessários. Observe que estes jars são necessários para rodar toda a aplicação, incluindo todos os exemplos das partes anteriores desta série de tutoriais.
struts2-ajax-jar-files

Passo 2: Criar a classe action do AJAX

Nós vamos criar uma classe action a qual irá ser chamada pelo nosso exemplo Ajax. Crie um arquivo AjaxAutocomplete.java no pacote net.viralpatel.struts2 e copie o seguinte conteúdo dentro dele.

AjaxAutocomplete.java

package net.viralpatel.struts2;

 

import java.util.ArrayList;

import java.util.List;

import java.util.StringTokenizer;

 

import com.opensymphony.xwork2.ActionSupport;

 

public class AjaxAutocomplete extends ActionSupport {

    private String data = "Afghanistan, Zimbabwe, India, United States, Germany, China, Israel";

    private List<String> countries;

    private String country;

    

    public String execute() {

        countries = new ArrayList<String>();

        StringTokenizer st = new StringTokenizer(data, ",");

 

        while (st.hasMoreTokens()) {

            countries.add(st.nextToken().trim());

        }

        return SUCCESS;

    }

    public String getCountry() {

        return this.country;

    }

 

    public List<String> getCountries() {

        return countries;

    }

 

    public void setCountries(List<String> countries) {

        this.countries = countries;

    }

    public void setCountry(String country) {

        this.country = country;

    }

}

No código acima nós criamos uma simples classe action com os atributos String country e List countries. A lista de países será populada com nomes de países quando o método execute() é chamado. Aqui por exemplo, nós carregamos dados estáticos. Você pode se sentir livre para mudar isso e adicionar dados do banco de dados.

Passo 3: Crie o JSP

Crie o arquivo JSP para exibir o Textbox com Autocomplete para nossa action Ajax. Crie AjaxDemo.jsp no diretório WebContent.

AjaxDemo.jsp

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8"%>

<%@ taglib prefix="s" uri="/struts-tags"%>

<%@ taglib prefix="sx" uri="/struts-dojo-tags"%>

<html>

<head>

    <title>Welcome</title>

    <sx:head />

</head>

<body>

    <h2>Struts 2 Autocomplete (Drop down) Example!</h2>

    

    Country:

    <sx:autocompleter size="1" list="countries" name="country"></sx:autocompleter>

    </action>

</body>

</html>

No arquivo JSP acima nós usamos a tag sx:autocompleter para renderizar um drop down com autocomplete o qual utiliza a classe Ajax para buscar dados internamente. Veja que nós mapeamos o atributo list com List countries.

Passo 4: Criando a entrada no Struts.xml

Adicione a seguinte entrada de action no arquivo Struts.xml:

<action name="ajaxdemo" class="net.viralpatel.struts2.AjaxAutocomplete">

    <interceptor-ref name="loggingStack"></interceptor-ref>

    <result name="success" type="tiles">/ajaxdemo.tiles</result>

    <result type="tiles">/ajaxdemo.tiles</result>

</action>

Observe que nós estamos utilizando Tiles aqui neste exemplo. Você pode querer usar o AjaxDemo.jsp ao invés do /ajaxdemo.tiles para renderizar a saída diretamente em JSP.

Isso é tudo pessoal

Compile e rode a aplicação no eclipse
struts2-ajax-drop-down

Download do código fonte

Clicque aqui para fazer o download do código fonte sem os JARs (24KB)

Conclusão

O framework Struts2 fornece uma ampla variedade de recursos para criar uma rica aplicação web. Nessa série de Struts2 nós vimos diferentes aspectos do Struts2 como introdução ao struts2, aplicação hello world, framework de validação, plugin tiles, interceptadores do struts2, carga de arquivo e suporte a Ajax.

Fonte: viralpatel.net – Viral Patel

Parte 3 – Tutorial do Framework de validação do Struts2 com Exemplo

Seja bem vindo a parte 3 de uma série de 7 partes do tutorial aonde vamos passar por diferentes aspectos práticos do framework Struts2. Na última parte nós criamos uma Aplicação básica de Struts2 do zero. Eu recomendo fortemente que você passe pelos artigos anteriores no caso de você ser novo no Struts2.

Nesse artigo vamos aprender como alavancar o framework de validação do Struts2 em uma aplicação. Para isso utilizaremos a aplicação StrutsHelloWorld a qual nós criamos no artigo anterior como base e começaremos adicionando a lógica de validação a ele.

Introdução ao framework de validação do Struts2

A action do Struts2 depende de um framework de validação fornecido pela XWork para permitir a aplicação de regras de validação de entrada para nossa Action antes delas serem executadas. O framework de validação do Struts2 nos permite separar a lógica de validação do real código Java/JSP, onde isso pode ser revisado e facilmente modificado depois.

O framework de validação do Struts2 alivia muita das dores de cabeça associadas com  manipulação de validação de dado, permitindo você focar no código de validação e não no mecanismo de captura de dados e reexibição de dados incompletos ou inválidos.

O framework de validação vem com um conjunto de retinas úteis para manipular o formulário de validação automaticamente e isso pode tratar o formulário de validação de ambos os lados, servidor (Server Side) ou cliente (Client Side). Se determinada validação não está presente, você pode criar sua própria lógica de validação implementando a interface com.opensymphony.xwork2.Validator e plugá-la dentro do framework de validação como um componente reutilizável.

O validador usa arquivos de configuração XML para determinar quais rotinas de validação devem ser instaladas e quais delas devem ser aplicadas para uma determinada aplicação.O arquivo validators.xml contém todas as declarações dos validadores comuns. Se o arquivo validators.xml não estiver presente no classpath, um arquivo de validação padrão é carregado do path com/opensymphony/xwork2/validator/validators/default.xml.

O primeiro arquivo de configuração, declara as rotinas de validação que devem ser plugadas dentro do framework e fornece nomes lógicos para cada uma das validações. O arquivo validator-rules.xml também define o código JavaScript do lado cliente para cada rotina de validação. O validador pode ser configurado para enviar esse código JavaScript para o navegador então essas validações são realizadas tanto do lado cliente quanto do lado servidor.

Escopo dos Validadores (Validators Scope)

Temos 2 tipos de validadores na Validação do Struts2.

  1. Field Validators (Validação de Campos)
  2. Non-field validators (Validação de Não-Campos)

Field validators, como o nome indica, atua em um único campo acessível através de uma action. Um validador, em contrapartida, é mais genérico e pode fazer validações no contexto inteiro da action, invocando mais de um campo (ou até mesmo nenhum campo) na regra de validação. A maioria das validações podem ser definidas em forma de campo. Isso deve ter preferência sobre validação non-field sempre que possível, como mensagens de validação de campo são vinculados ao campo relacionado e será apresentado próximo ao elemento de entrada correspondente na view respectiva.

<validators>

  <field name="bar">

      <field-validator type="required">

          <message>You must enter a value for bar.</message>

      </field-validator>

  </field>

</validators>

Non-field validators apenas adiciona mensagens de nível de action. Validações non-field fornecida pela XWork é ExpressionValidator (Validador de Expressão).

<validators>

      <validator type="expression">

            <param name="expression">foo lt bar</param>

            <message>Foo must be greater than Bar.</message>

      </validator>

</validators>

Primeiros passos

Vamos adicionar a lógica de validação na aplicação StrutsHelloWorld que nós criamos no artigo anterior. Para esse tutorial, vamos criar uma classe Action chamada CustomerAction a qual conterá poucos campos. Crie um arquivo CustomerAction.java no pacote net.viralpatel.struts2.
customer-action-struts2

Copie o seguinte conteúdo dentro dele.

CustomerAction.java

package net.viralpatel.struts2;

import com.opensymphony.xwork2.ActionSupport;

public class CustomerAction extends ActionSupport{

    private String name;

    private Integer age;

    private String email;

    private String telephone;

    public String addCustomer() {

        return SUCCESS;

    }

    

    public String getName() {

        return name;

    }

    public void setName(String name) {

        this.name = name;

    }

    public Integer getAge() {

        return age;

    }

    public void setAge(Integer age) {

        this.age = age;

    }

    public String getEmail() {

        return email;

    }

    public void setEmail(String email) {

        this.email = email;

    }

    public String getTelephone() {

        return telephone;

    }

    public void setTelephone(String telephone) {

        this.telephone = telephone;

    }

}

Observe que a classe CustomerAction tem os campos name, email, telephone e age. Também tem um método chamado addCustomer() o qual não tem nenhuma lógica, ele apenas retorna SUCCESS.

Agora nós vamos adicionar uma entrada para essa classe action no arquivo struts.xml. Abra o arquivo struts.xml o qual estará presente abaixo da pasta resources. E adicione o seguinte conteúdo entre as tags <package></package>.

<action name="customer"

    class="net.viralpatel.struts2.CustomerAction">

    <result name="success">SuccessCustomer.jsp</result>

    <result name="input">Customer.jsp</result>

</action>

Observe que nós estamos mapeando a classe CustomerAction com o nome customer. Também em sucesso o usuário será redirecionado a página SuccessCustomer.jsp. Repare que tem outra tag de resultado com nome input. Sempre que a lógica de validação encontra algum erro de validação, redireciona o usuário de volta a página especificada como input. Assim no nosso exemplo, o usuário será redirecionado de volta para Customer.jsp no caso de quaisquer erros.

Crie duas novas JSPs Customer.jsp (qual conterá o formulário do Customer) e SuccessCustomer.jsp (qual será mostrada em sucesso).
struts2-validation-jsp-files

Customer.jsp

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8"%>

<%@ taglib prefix="s" uri="/struts-tags"%>

<html>

<head>

<title>Customer Form - Struts2 Demo | ViralPatel.net</title>

</head>

<body>

<h2>Customer Form</h2>

<s:form action="customer.action" method="post">

    <s:textfield name="name" key="name" size="20" />

    <s:textfield name="age" key="age" size="20" />

    <s:textfield name="email" key="email" size="20" />

    <s:textfield name="telephone" key="telephone" size="20" />

    <s:submit method="addCustomer" key="label.add.customer" align="center" />

</s:form>

</body>

</html>

SuccessCustomer.jsp

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8"%>

<%@ taglib prefix="s" uri="/struts-tags"%>

<html>

<head>

<title>Customer Page - Struts2 Demo | ViralPatel.net</title>

</head>

<body>

    <h2>Customer Added Successfully.</h2>

</body>

</html>

Nós criamos o arquivo Customer.jsp qual irá exibir o formulário Customer. Mas nós não temos link para esta página na nossa aplicação web. Então nós criaremos um link para Customer.jsp da página Welcome.jsp. Abra a página Welcome.jsp e adicione o seguinte código de link dentro dela.

<s:a href="Customer.jsp">Add Customer</s:a>

Agora abra o arquivo ApplicationResources.properties da pasta resources e adicione as seguintes chaves/valores dentro dela.

name= Name

age= Age

email= Email

telephone= Telephone

label.add.customer=Add Customer

errors.invalid=${getText(fieldName)} is invalid.

errors.required=${getText(fieldName)} is required.

errors.number=${getText(fieldName)} must be a number.

errors.range=${getText(fieldName)} is not in the range ${min} and ${max}.

Execute o código no Eclipse e veja a saida. Você verá a página de login. Entre com username=admin e a senha=admin123 e faça o login. Na página de boas vindas você verá um link para página Add Customer. Clique naquele link e você verá a página Customer.
struts2-customer-form

Adicionando a lógica de validação

Agora nós terminamos o básico do formulário customer no qual nós vamos adicionar a lógica de validação. Seguem as regras de validações:

  1. Campo Name é obrigatório.
  2. Campo Age é obrigatório. Deve ser um número entre 1 e 100.
  3. Campo Email é obrigatório. Deve ser um endereço de email válido.
  4. Campo Telephone é obrigatório.

A fim de definir a lógica de validação para um formulário em particular, primeiro nós devemos criar um arquivo XML no qual manterá esse dado. O Struts2 define uma convenção de nomenclatura específica na definição dos arquivos XML de validação. O formato é <NomeDaClasseAction>-validation.xml. Então para nossa aplicação vamos criar um arquivo CustomerAction-validation.xml. Observe que este arquivo deve estar presente no mesmo pacote da classe action.
Crie o arquivo
CustomerAction-validation.xml no pacote net.viralpatel.struts2. E copie o seguinte conteúdo dentro dele.
struts2-validation-xml

CustomerAction-validation.xml

<!DOCTYPE validators PUBLIC "-//Apache Struts//XWork Validator 1.0.3//EN"

    "http://struts.apache.org/dtds/xwork-validator-1.0.3.dtd">

<validators>

    <field name="name">

        <field-validator type="requiredstring">

            <param name="trim">true</param>

            <message key="errors.required" />

        </field-validator>

    </field>

    <field name="age">

        <field-validator type="required">

            <message key="errors.required" />

        </field-validator>

        <field-validator type="int">

            <param name="min">1</param>

            <param name="max">100</param>

            <message key="errors.range"/>

        </field-validator>

    </field>

    <field name="email">

        <field-validator type="requiredstring">

            <message key="errors.required" />

        </field-validator>

        <field-validator type="email">

            <message key="errors.invalid" />

        </field-validator>

    </field>

    <field name="telephone">

        <field-validator type="requiredstring">

            <message key="errors.required" />

        </field-validator>

    </field>

</validators>

E é isso. Nós apenas adicionamos a lógica de validação ao nosso exemplo. Veja que os arquivos XML de validação contém diferentes field-validators.

Validação do lado cliente

É muito fácil adicionar a validação do lado cliente ou validação JavaScript a qualquer formulário em Struts2. Tudo o que você precisa fazer é adicionar validate=”true” na tag form no seu arquivo JSP. Por exemplo abra o Customer.jsp e adicione validate=”true” na tag form. O Struts2 automaticamente gerará o código JavaScript para validação do lado cliente do formulário.

<s:form action="customer.action" method="post" validate="true">

    ...

</s:form>

Isso é tudo pessoal

Execute a aplicação e teste o formulário Customer com diferentes valores.

Página Customer

struts2-customer-form

Página Customer com erros
customer-page-validation-errors

Página Customer com sucesso
customer-page-success

Download do Código Fonte

Struts2_Validation_example.zip (3.6 MB)

Fonte: viralpatel.net – Viral Patel

Parte 2 – Tutorial: Criando uma aplicação Struts 2 no Eclipse

Sejam bem-vindos a parte 2 da série de 7 partes onde vamos explorar o mundo do framework Struts 2. No artigo anterior nós passamos pelo básico do Struts2, seu Diagrama de Arquitetura, ciclo de vida do processamento das requisições e uma breve comparação do Struts1 e Struts2. Se você não passou no nosso artigo anterior, eu altamente recomendo você fazer isso antes de botar a mão na massa hoje.

Coisa que nós precisamos

Antes de nós começarmos com nosso primeiro exemplo Hello World no Struts 2, nós vamos precisar de algumas ferramentas.

  1. JDK 1.5 ou acima (download)
  2. Tomcat 5.x ou acima ou qualquer outro container (Glassfish, JBoss, Websphere, Weblogic etc) (download)
  3. Eclipse 3.2.x ou acima (download)
  4. Arquivos JAR do Apache Struts2. Segue a lista dos arquivos JAR necessários para essa aplicação.
    • commons-logging-1.0.4.jar
    • freemarker-2.3.8.jar
    • ognl-2.6.11.jar
    • struts2-core-2.1.6.jar
    • xwork-2.1.2.jar

Observe que dependendo da versão utilizada do Struts2, o número da versão dos arquivos JAR acima podem mudar.

Nosso Objetivo

Nosso objetivo é criar uma aplicação básica de Struts2 com uma página de Login. O usuário entrará com a credencial de login(username e senha) e se for autenticado com sucesso ele será redirecionado à uma página de ‘Bem-Vindo’ na qual mostrará a mensagem ” Howdy, <username>…!“. Se o usuário não autenticar, ele será redirecionado de volta para página de login.
struts2-application-login-page

Primeiros Passos

Vamos começar com a nosa primeira aplicação baseada em Struts2.
Abra o Eclipse e vá em File -> New -> Project e selecione Dynamic Web Project na tela New Project.
Dynamic Web Project in Eclipse

Após selecionar Dynamic Web Project, pressione Next.
Eclipse Struts2 Project

Digite o nome do projeto. Por exemplo StrutsHelloWorld. Uma vez que fez isso, selecione o target runtime environment (ex.: Apache Tomcat v6.0). Isso é pra rodar o projeto dentro do ambiente do eclipse. Depois disso clique em Finish.

Uma vez que o projeto está criado, você pode ver essa estrutura no Project Explorer.
Eclipse Project Explorer: Struts2 Example

Agora copie todos os arquivos JAR requeridos no pasta WebContent -> WEB-INF -> lib. Crie essa pasta se ela não existir.
struts2-webinf-jars

Mapeamento o Struts2 no WEB.xml

Como discutido no artigo anterior, o ponto de entrada da aplicação Struts2 será definir o Filter no web.xml. Daqui nós definiremos uma entrada da classe org.apache.struts2.dispatcher.FilterDispatcher no web.xml.

Abra o arquivo web.xml que está abaixo da pasta WEB-INF e copie e cole o seguinte código.

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>

<web-app id="WebApp_9" version="2.4"

    xmlns="http://java.sun.com/xml/ns/j2ee"

    xmlns:xsi="http://www.w3.org/2001/XMLSchema-instance"

    xsi:schemaLocation="http://java.sun.com/xml/ns/j2ee http://java.sun.com/xml/ns/j2ee/web-app_2_4.xsd">

    <display-name>Struts2 Application</display-name>

    <filter>

        <filter-name>struts2</filter-name>

        <filter-class>

            org.apache.struts2.dispatcher.FilterDispatcher

        </filter-class>

    </filter>

    <filter-mapping>

        <filter-name>struts2</filter-name>

        <url-pattern>/*</url-pattern>

    </filter-mapping>

    <welcome-file-list>

        <welcome-file>Login.jsp</welcome-file>

    </welcome-file-list>

</web-app>

O código acima no web.xml mapeará o filtro do Struts2 com a url /*. O mapeamento padrão de url para aplicação struts2 será /*.action. Também observe que nós temos que definir Login.jsp como arquivo de boas-vindas.

Observação: O filtro FilterDispatcher está depreciado desde a versão 2.1.3 do  Struts. Se você está utilizando a última versão do Struts2 ( > 2.1.3) utilize a classe StrutsPrepareAndExecuteFilter em vez disso.

<filter>

    <filter-name>struts2</filter-name>

    <filter-class>org.apache.struts2.dispatcher.ng.filter.StrutsPrepareAndExecuteFilter</filter-class>

</filter>

<filter-mapping>

    <filter-name>struts2</filter-name>

    <url-pattern>/*</url-pattern>

</filter-mapping>

A classe Action

Precisaremos de uma classe Action que irá autenticar nosso usuário e manterá o valor do username e da senha. Para isso vamos criar um pacote net.viralpatel.struts2 na pasta source. Esse pacote conterá o arquivo action.
struts2-source-package

Crie uma classe chamada LoginAction no pacote net.viralpatel.struts2 com o seguinte conteudo.

package net.viralpatel.struts2;

public class LoginAction {

    private String username;

    private String password;

    public String execute() {

        if (this.username.equals("admin") && this.password.equals("admin123")) {

            return "success";

        } else {

            return "error";

        }

    }

    public String getUsername() {

        return username;

    }

    public void setUsername(String username) {

        this.username = username;

    }

    public String getPassword() {

        return password;

    }

    public void setPassword(String password) {

        this.password = password;

    }

}

Observe que, a classe action acima contém dois campos, username e senha qual manterá os valores do formulário e também contem o método execute() que autenticará o usuário. Neste simples exemplo, nós vamos checar se o username admin é e a senha é admin123.

Também observe que diferente da classe Action no Struts1, a classe Action do Struts2 é uma simples classe POJO com os atributos necessários e método.

O método execute() retorna um valor String qual irá determinar a página de resultado. Também, no Struts2 o nome do método não é fixo. Neste exemplo nós devemos definir o método execute(). Você pode querer definir um método authenticate() em vez disso.

O ResourceBundle

ResourceBundle é uma entidade Java muito útil que ajuda a colocar o conteúdo estático fora do arquivo fonte. A maioria das aplicações definem um arquivo resource bundle como ApplicationResources.properties o qual conterá mensagens estáticas como Username e Senha e inclui isso com a aplicação.

ResourceBundle se torna útil quando nós queremos adicionar suporte a internacionalização(I18N) a uma aplicação.

Nós definiremos um arquivo ApplicationResources.properties para nossa aplicação. Esse arquivo de propriedade deve estar presente na pasta WEB-INF/classes quando a fonte for compilada. Portanto criaremos uma pasta source chamada resources e colocar esse arquivo ApplicationResources.properties dentro dela.

Para criar uma pasta source, clique com o botão direito no seu projeto no Project Explorer e selecione New -> Source Folder.
struts2-resource-folder

Especifique o nome da pasta como resources e clique em Finish.

Crie um arquivo ApplicationResources.properties embaixo da pasta resources.
struts-2-application-resources-properties

Copie o sequinte conteúdo dentro do ApplicationResources.properties.

label.username= Username

label.password= Password

label.login= Login

O JSP

Nós vamos criar dois arquivos JSP para renderizar a saída ao usuário. Login.jsp será o ponto de partida da nossa aplicação, no qual conterá um simples formulário de login com username e senha. Em uma autenticação bem sucedida, o usuário será redirecionado à Welcome.jsp que irá mostrar uma simples mensagem de boas vindas.

Crie dois arquivos JSP Login.jsp e Welcome.jsp na pasta WebContent do seu projeto. Copie o seguinte conteúdo dentro deles.

Login.jsp

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8"%>

<%@ taglib prefix="s" uri="/struts-tags"%>

<html>

<head>

<title>Struts 2 - Login Application | ViralPatel.net</title>

</head>

<body>

<h2>Struts 2 - Login Application</h2>

<s:actionerror />

<s:form action="login.action" method="post">

    <s:textfield name="username" key="label.username" size="20" />

    <s:password name="password" key="label.password" size="20" />

    <s:submit method="execute" key="label.login" align="center" />

</s:form>

</body>

</html>

Welcome.jsp

<%@ page contentType="text/html; charset=UTF-8"%>

<%@ taglib prefix="s" uri="/struts-tags"%>

<html>

<head>

<title>Welcome</title>

</head>

<body>

    <h2>Howdy, <s:property value="username" />...!</h2>

</body>

</html>

Observe que nós usamos a tag <s:> do Struts 2 para renderizar as caixas de texto e labels. Struts2 vem com uma ponderosa biblioteca de tags embutida para renderizar elementos UI com mais eficiência.

O arquivo struts.xml

O Struts2 lê a configuração e a definição de classe de um arquivo XML chamado struts.xml. Esse arquivo é carregado do classpath do projeto. Nós definiremos o arquivo struts.xml na pasta resources. Crie o arquivo struts.xml na pasta resources.
struts2-struts-xml

Copie o seguinte conteúdo dentro do struts.xml.

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8" ?>

<!DOCTYPE struts PUBLIC

    "-//Apache Software Foundation//DTD Struts Configuration 2.0//EN"

    "http://struts.apache.org/dtds/struts-2.0.dtd">

<struts>

    <constant name="struts.enable.DynamicMethodInvocation"

        value="false" />

    <constant name="struts.devMode" value="false" />

    <constant name="struts.custom.i18n.resources"

        value="ApplicationResources" />

    <package name="default" extends="struts-default" namespace="/">

        <action name="login"

            class="net.viralpatel.struts2.LoginAction">

            <result name="success">Welcome.jsp</result>

            <result name="error">Login.jsp</result>

        </action>

    </package>

</struts>

Observe que no arquivo de configuração acima, nós temos definido a action Login da nossa aplicação. Dois result paths (caminhos de resultado) estão mapeados com LoginAction dependendo do resultado do método execute(. Se o método execute() retornar sucesso, o usuário será redirecionado para Welcome.jsp se não para Login.jsp.

Também observe que uma Constant é especificada com o nome struts.custom.i18n.resources. Essa constante especifica o arquivo resource bundle que nós criamos nos passos acima. Nós apenas precisamos especificar o nome do arquivo resource bundle sem a extensão (ApplicationResources sem o .properties).

Nosso LoginAction contém o método execute() o qual é o método padrão sendo chamado pelo Struts2. Se o nome do método é diferente, ex.: authenticate(); então devemos especificar o nome do método na tag <action>.

<action name="login" method="authenticate"

    class="net.viralpatel.struts2.LoginAction">

Quase pronto

A aplicação está quase pronta. Você talvez queira rodar a aplicação agora e ver o resultado você mesmo. Eu presumo que você já tenha configurado o Tomcat no eclipse.  Tudo que você precisa fazer:
Abrir a view de Server em Windows -> Show View -> Server. Botão direito nesta view e selecionar New -> Server e adicionar os detalhes do seu servidor.
Para rodar o projeto, botão direito no nome do projeto no Project Explorer e selecione Run as -> Run on Server (Atalho: Alt+Shift+X, R)

Mas ai tem um pequeno problema. Nossa aplicação roda perfeitamente bem até este ponto. Mas então o usuário entra com as credenciais erradas, ela será redirecionada para página de Login. Mas nenhuma mensagem de erro é mostrada. O usuário não sabe oque aconteceu. Uma boa aplicação sempre mostrará mensagens de erro apropriadas ao usuário. Então nós devemos mostrar uma mensagem de erro Invalid Username/Password. Please try again quando a autenticação do usuário falhar.

Toque final

Para adicionar essa funcionalidade, primeiro nós vamos adicionar a mensagem de erro no nosso arquivo ResourceBundle. Abra o ApplicationResources.properties e adicione uma entrada para error.login. O ApplicationResources.properties final parecerá como:

label.username= Username

label.password= Password

label.login= Login

error.login= Invalid Username/Password. Please try again.

Nós também precisamos adicionar lógica no LoginAction para adicionar a mensagem de erro se o usuário não autenticar. Mas ai nós temos um problema. Nossa mensagem de erro está especificada no arquivo ApplicationResources.properties. Nós precisamos especificar a chave error.login no LoginAction e a mensagem deverá aparecer na página JSP.

Para isso nós precisamos implementar a interface com.opensymphony.xwork2.TextProvider que fornece o método getText(). Esse método retorna um valor String do arquivo resource bundle. Nós precisamos apenas passar o valor chave como argumento para o método getText(). A interface TextProvider define vários métodos que nós precisamos implementar a fim de conseguir segurar o método getText(). Mas nós não queremos estragar o nosso código adicionando todos esses métodos que não temos a intenção de usar. Tem um bom jeito de lidar com este problema.

Struts2 vem com uma classe muito útil com.opensymphony.xwork2.ActionSupport. Nós precisamos estender nossa classe LoginAction com esta classe e diretamente usar métodos como o getText(), addActionErrors() e etc. Portanto nós iremos estender a classe LoginAction com a classe ActionSupport e adicionar a lógica para reportar o erro dentro dela. O código final do LoginAction deve se parecer com:

package net.viralpatel.struts2;

import com.opensymphony.xwork2.ActionSupport;

public class LoginAction extends ActionSupport {

    private String username;

    private String password;

    public String execute() {

        if (this.username.equals("admin")

                && this.password.equals("admin123")) {

            return "success";

        } else {

            addActionError(getText("error.login"));

            return "error";

        }

    }

    public String getUsername() {

        return username;

    }

    public void setUsername(String username) {

        this.username = username;

    }

    public String getPassword() {

        return password;

    }

    public void setPassword(String password) {

        this.password = password;

    }

}

E é isso. Nossa primeira aplicação Hello World em Struts2 está pronta.

Isso é tudo pessoal

Execute a aplicação no eclipse e rode-o no seu navegador favorito.
Página de Login
struts2-application-login-page

Página de boas vindas
struts2-welcome-page

Página de Login com erro
struts2-login-page-error

Download do código fonte

Código fonte sem os arquivos JAR (9 KB)
Código fonte com os arquivos JAR (3 MB)

Fonte: viralpatel.net – Viral Patel

Como recuperar XML do Envelop SOAP com Axis2

E ai galera beleza?

Hoje descobri que tem uma maneira muito simples de recuperar o xml
que vem dentro do envelope SOAP (tanto de entrada como de saida) no Axis2

segue um exemplo de como fazê-lo:

import org.apache.axis2.*;
import org.apache.axis2.context.*;
public class ExampleStub {
   private InterfaceExampleStub stub = null;
   public ExampleStub(String url) throws Exception {
        try {
            stub = new InterfaceExampleStub(url);
        } catch (AxisFault e) {
            throw new Exception("Error creating a ExampleStub: "+e.getMessage(), e);
        }
    }

    public void operation() throws Exception {
        try {
            stub.operation(/* parameters */);
        } catch(Throwable t) {
            throw new Exception("Got throwable: ["+ t.getMessage(), t);
        } finally {
            try {
                OperationContext operationContext = stub._getServiceClient().getLastOperationContext();
                if (operationContext != null) {
                    MessageContext outMessageContext = operationContext.getMessageContext("Out");
                    if (outMessageContext != null) {
                        System.out.println("OUT SOAP: "+outMessageContext.getEnvelope().toString());
                    }
                    MessageContext inMessageContext = operationContext.getMessageContext("In");
                    if (inMessageContext != null) {
                        System.out.println("IN SOAP: "+ inMessageContext.getEnvelope().toString());
                    }
                }
            } catch(Throwable e) {
                System.out.println("Cannot log soap messages: "+e.getMessage());
            }
        }
    }
}

OBS.: Caso tome o seguinte erro ao tentar executar:

com.ctc.wstx.exc.WstxIOException: Attempted read on closed stream

Siga este tutorial de como resolver este prolema…

Fonte: AppDesign – Ivan K

Axis 2 – com.ctc.wstx.exc.WstxIOException: Attempted read on closed stream

Hoje eu descobri que existe um modo de recuperar o envelope SOAP em String,
utilizando o stub do Axis2, porém estava tomando o seguinte erro:

com.ctc.wstx.exc.WstxIOException: Attempted read on closed stream

então, procurando na internet descobri que é necessário adicionar uma linha no arquivo
stub gerado pelo Axis2, para poder acessar o envelope fora do contexto do stub…

procure pela linha:

org.apache.axiom.soap.SOAPEnvelope _returnEnv = _returnMessageContext.getEnvelope();

e adicione isso embaixo dela:

_returnEnv.build();

simples não?

Caso você esteja procurando como recuperar o Envelope SOAP tanto de saida como de entrada do Axis2
clique aqui!!! 😀

Abraços.

Fonte: apache.org – TAM Tenfold5