Arquivos de sites

Como persistir LocalDate e LocalDateTime do Java 8 com JPA

E ai galera beleza? faz muito tempo que eu não postava nada novo, então bora com “novidade” do java 8 + JPA 😀

O Java 8 trouxe muitas grandes funcionalidades e uma das mais importantes e uma das antecipadas foi a nova API de data e hora. Haviam muitos problemas com a antiga API e não vou entrar em detalhes do porque nós precisamos de uma nova. Tenho certeza que você teve que lutar com ela com frequencia.

Todos esses problemas se foram com Java 8 \o/. A nova API de data e hora é bem desenhada, fácil de usar e (finalmente) imutável. O único problema que permanece é, que você não pode usava com JPA.

Bem, isso não totalmente verdade. Você pode usa-la, porém o JPA irá mapeá-la para BLOB ao invés de DATE ou TIMESTAMP. Que significa que a base de dados não está ciente do objeto de data e não pode aplicar nenhuma otimização para isso. E não é desse jeito que deveríamos ou gostaríamos de fazê-lo.

Porque o JPA não suporta LocalDate e LocalDateTime?

A resposta é simples, o JPA 2.1 foi liberado antes do Java 8 e a API de data e hora simplesmente não existia naquela época. Portanto a anotação @Temporal pode apenas ser aplicada a atributos do tipo java.util.Date e java.util.Calendar.

Se você deseja armazenar um atributo LocalDate em uma coluna Date ou uma LocalDateTime em uma coluna TIMESTAMP, você mesmo precisa definir o mapeamento para java.sql.Date ou java.sql.Timestamp. Graças ao conversor de atributo, uma das diversas novas funcionalidades do JPA 2.1, isso pode ser alcançado com apenas algumas linhas de código.

Nos exemplos abaixo, eu vou mostrar pra vocês como criar um conversor de atributos para LocalDate e LocalDateTime. Se você quer aprender mais sobre conversor de atributo, dê uma olhada aqui (inglês).

O exemplo

Antes de nós criar os conversores de atributo, vamos dar uma olhada na entidade de exemplo para esse post:

@Entity
public class MyEntity {

@Id
@GeneratedValue(strategy = GenerationType.AUTO)
@Column(name = “id”, updatable = false, nullable = false)
private Long id;

@Column
private LocalDate date;

@Column
private LocalDateTime dateTime;

}

O conversor de atributo faz parte da especificação do JPA 2.1 e pode portanto ser usado com qualquer implementação de JPA 2.1, ex.: Hibernate ou EclipseLink. Eu usei Wildfly 8.2 com Hibernate 4.3 para os seguintes exemplos.

Convertendo LocalDate

Como você pode ver no seguinte pedaço de código, não é necessário muita coisa para criar um conversor de atributo para LocalDate.

@Converter(autoApply = true)
public class LocalDateAttributeConverter implements AttributeConverter<LocalDate, Date> {

@Override
public Date convertToDatabaseColumn(LocalDate locDate) {
return (locDate == null ? null : Date.valueOf(locDate));
}

@Override
public LocalDate convertToEntityAttribute(Date sqlDate) {
return (sqlDate == null ? null : sqlDate.toLocalDate());
}
}

Você precisa implementar a interface AttributeConverter<LocalDate, Date> e seus 2 métodos convertToDatabaseColumn e convertToEntityAttribute. Como você pode ver nos nomes dos métodos, um deles define a conversão do tipo do atributo da entidade (LocalDate) para o tipo de coluna da base de dados (Date) e o outro é a conversão inversa. A conversão em si é simples porque java.sql.Date ja nos provê o método para fazer a conversão “de” e “para” um LocalDate.

Adicionalmente o conversor de atributo precisa ser anotado com a anotação @Converter. Devido a propriedade opcional autoApply=true, o conversor será aplicado a todos os atributos do tipo LocalDate. Dê uma olhada aqui (inglês), se você quer definir o uso de cada conversor para cada atributo individualmente.

A conversão do atributo é transparente para o desenvolvedor e o atributo LocalDate pode ser usado como qualquer outro atributo da entidade. Você pode usa-lo como parâmetro de query por exemplo.

LocalDate date = LocalDate.of(2015, 8, 11);
TypedQuery<MyEntity> query = this.em.createQuery(“SELECT e FROM MyEntity e WHERE date BETWEEN :start AND :end”, MyEntity.class);
query.setParameter(“start”, date.minusDays(2));
query.setParameter(“end”, date.plusDays(7));
MyEntity e = query.getSingleResult();

Convertendo LocalDateTime

O conversor de atributo para LocalDateTime é basicamente o mesmo. Você precisa implementar a interface attributeConverter<LocalDateTime, Timestamp> e o conversor precisa ser anotado com a anotação @Converter. Assim como o LocalDateConverter, a conversão entre LocalDateTime e um java.sql.Timestamp é feita através dos métodos de conversão do Timestamp.

@Converter(autoApply = true)
public class LocalDateTimeAttributeConverter implements AttributeConverter<LocalDateTime, Timestamp> {

@Override
public Timestamp convertToDatabaseColumn(LocalDateTime locDateTime) {
return (locDateTime == null ? null : Timestamp.valueOf(locDateTime));
}

@Override
public LocalDateTime convertToEntityAttribute(Timestamp sqlTimestamp) {
return (sqlTimestamp == null ? null : sqlTimestamp.toLocalDate());
}
}

Conclusão

O JPA 2.1 foi liberado antes do Java 8 e portanto não suporta a nova API de data e hora. Se você quer usar as novas classes (do jeito certo), você mesmo precisa definir a conversão para java,sql.Date e java.sql.Timestamp. Isso pode ser feito facilmente implementando a interface AttributeConverter<EntityType, DatabaseType> e anotando a classe com a anotação @Converter(autoApply=true). Setando autoApply=true, a conversão será aplicada a todos os atributos do EntityType e nenhuma alteração na entidade é necessária.

Até onde eu sei, a próxima versão do JPA suportará a nova API de data e hora e as diferentes implementações provavelmente irão suporta-la ainda mais cedo. O Hibernate 5 por exemplo irá suporta-la como uma funcionalidade proprietária.

É isso ai galera, espero tê-los ajudado 😀

Fonte: thoughts-on-java.org – Thorben Janssen

Ordenando Lista de Objetos em Java

Pessoal, andei apanhando um pouco no trabalho, e achei essa solução, para ordenar um ArrayList,
segue abaixo o que salvou minha vida ahuahuahuaha :

Quem nunca na sua vida de programador, seja iniciando pela linguagem de programação C ou direto pelo Java, não enfrentou alguns problemas com Segmentation fault e NullPointException ao trabalhar-se com vetores, principalmente por se acessar índices que não existiam. Na linguagem de programação C não existe muita escapatória para esses casos, além de implementar toda a lógica para a manipulação desses vetores. Um dos exercícios clássicos em C é o de ordenar um vetor em ordem crescente ou decrescente, utilizando-se de alguma lógica com fors e ifs.

Ao iniciar o estudo em Java, também aprendemos a utilizar primeiramente os vetores e enfrentamos os mesmos problemas que no C, até fazemos os mesmos exercícios já feitos em C sobre vetores. Mas ai pensamos, Java sendo uma linguagem de mais alto nivel que o C, será que não existe uma solução mais elegante? A resposta vem da Collections Framework, que é uma API robusta criada pela Sun que possui diversas classes que representam estruturas de dados avançadas, como ArrayList e LinkedList, e funções úteis para se trabalhar com vetores.

O objetivo desse artigo não é dar toda explicação de como utilizar a sintaxe da API Collections, sendo os dois primeiros parágrafos uma breve introdução sobre o assunto, mas sim de como ordenar uma lista de objetos em Java sem ter que implementar nenhuma lógica mirabolante. Uma lista de objetos em Java pode ser facilmente ordenada utilizando o método sort da API Collections. Como exemplo iremos criar uma lista de strings e adicionar algumas palavras nela, depois iremos imprimir essa lista para ver sua ordem. Depois executaremos o método sort para ordenar a lista e imprimiremos novamente a lista para comparar o resultado.

List<String> lista = new ArrayList<String>();
lista.add("fogo");
 lista.add("agua");
 lista.add("vento");
 lista.add("terra");
for(String i : lista){
 System.out.println(i);
 }
Collections.sort(lista);
 System.out.println("Ordenando a lista:");
for(String i : lista){
 System.out.println(i);
 }

Resultado:

fogo
agua
vento
terra
Ordenando a lista:
agua
fogo
terra
vento

Como pode ser visto acima, a lista foi reordenada em ordem crescente. Mas como o método sort sabia como organizar a lista? Ele precisa utilizar um método int compareTo(Object) para poder ordenar a lista, que retorna zero, se o objeto comparado for igual a este objeto, um número negativo, se este objeto for menor que objeto dado, e um número positivo, se este objeto for maior que o objeto dado. Este método está definido na interface Comparable, que deve ser implementado pela classe que será ordenado em uma lista. Não é necessariamente obrigatório que a classe implemente a interface Comparable, ao chamar o método sort pode também ser passado como parâmetro além da lista que será ordenada um método que fará a ordenação.

Entendemos como à ordenação é feita, mais ainda assim não implementamos a interface Comparable e nenhuma logica para a ordenação. Como a lista pode ser ordenada com o método sort? A resposta é que a classe string já implementa a interface Comparable que ordena em ordem alfabética seus elementos. Outras classes em Java que implementam essa interface são: BigDecimal, BigInteger, Byte, ByteBuffer, Character, CharBuffer, Charset, CollationKey, Date, Double, DoubleBuffer, File, Float, FloatBuffer, IntBuffer, Integer, Long, LongBuffer, ObjectStreamField, Short, ShortBuffer e URI que podem ser ordenadas simplesmente utilizando-se o método sort.

Agora chegamos ao caso se quisermos ordenar uma lista de objetos de uma classe que nós mesmos criamos. Para isso a nossa classe deve implementar a interface Comparable. Utilizaremos como exemplo a classe abaixo chamada carro, que contém apenas dois atributos, cilindrada e cor, e um construtor que recebe esses atributos.

public class Carro {
private String cor;
 private int cilindrada;
public Carro(String cor, int cilindrada) {
 super();
 this.cor = cor;
 this.cilindrada = cilindrada;
 }
public String getCor() {
 return cor;
 }
public void setCor(String cor) {
 this.cor = cor;
 }
public int getCilindrada() {
 return cilindrada;
 }
public void setCilindrada(int cilindrada) {
 this.cilindrada = cilindrada;
 }
 }

Realizaremos agora as modificações necessárias na nossa classe carro para que possamos ordenar uma lista da nossa classe utilizando o método sort. Primeiramente a nossa classe deve implementar a intarface Comparable e consequentemente implementar o método sort, lembrando que este método retorna zero se o objeto é igual, um numero negativo se for menor e um numero positivo se for maior. Iremos também decidir como queremos a ordenação da nossa lista de carros seja feita, a ordenação será feita em ordem decrescente de cilindrada, e em caso de ter igual será ordenado em ordem alfabética de cor. A classe finalizada por ser vista abaixo.

public class Carro implements Comparable {
private String cor;
 private int cilindrada;
public Carro(String cor, int cilindrada) {
 super();
 this.cor = cor;
 this.cilindrada = cilindrada;
 }
public String getCor() {
 return cor;
 }
public void setCor(String cor) {
 this.cor = cor;
 }
public int getCilindrada() {
 return cilindrada;
 }
public void setCilindrada(int cilindrada) {
 this.cilindrada = cilindrada;
 }
public int compareTo(Carro carro) {
 if(this.cilindrada > carro.cilindrada){
 return -1;
 }
 else if(this.cilindrada < carro.cilindrada){
 return 1;
 }
 return this.getCor().compareToIgnoreCase(carro.getCor());
 }
 }

Para mostrar que a ordenação realmente funcionou, iremos fazer um teste, onde criaremos uma lista de carros, adicionaremos alguns carros há lista, alguns com mesma cilindradas e cores diferentes. Depois iremos imprimir essa lista de carros, executar o método sort e exibir de novo a lista para ver se a ordenação realmente ocorreu.

List carros = new ArrayList();
carros.add(new Carro("Azul",500));
 carros.add(new Carro("Verde",300));
 carros.add(new Carro("Laranja",700));
 carros.add(new Carro("Marrom",300));
 carros.add(new Carro("Amarelo",700));
for(Carro c : carros){
 System.out.println("Carro de cor "+c.getCor()+" e "+c.getCilindrada()+" cilindradas.");
 }
Collections.sort(carros);
 System.out.println("Ordenando a lista:");
for(Carro c : carros){
 System.out.println("Carro de cor "+c.getCor()+" e "+c.getCilindrada()+" cilindradas.");
 }

Resultado:

Carro de cor Azul e 500 cilindradas.
 Carro de cor Verde e 300 cilindradas.
 Carro de cor Laranja e 700 cilindradas.
 Carro de cor Marrom e 300 cilindradas.
 Carro de cor Amarelo e 700 cilindradas.
 Ordenando a lista:
 Carro de cor Amarelo e 700 cilindradas.
 Carro de cor Laranja e 700 cilindradas.
 Carro de cor Azul e 500 cilindradas.
 Carro de cor Marrom e 300 cilindradas.
 Carro de cor Verde e 300 cilindradas.

Como esperado a ordenação funcionou corretamente. Era isso que este artigo proponha a se tratar, pode ser algo simples para algumas pessoas, mas para quem não conhece pode ser de grande ajuda, facilitando muito o seu trabalho.

Fonte: blog.sippulse.com – Jonas Diogo

O eterno problema de calcular a diferença de dias entre duas datas em Java

E ai pessoal, beleza? achei um artigo mto legal sobre manipulação de datas!
Segue abaixo 😀

Seu chefe te dá a seguinte missão: calcular a diferença de dias entre duas datas. Usando API do java.util.Date ou java.util.Calendar você até consegue dar um jeito. Um mês depois ele pede a você que calcule novamente essa diferença, mas desprezando sábados e domingos. E agora? O que fazer? E tem mais, um tempo depois ele pede que despreze também os feriados, dias abonados, e dias que não teve expediente (greve, recesso, comemorações), considerando assim apenas os dias úteis. É um problema relativamente corriqueiro, a questão é como solucioná-lo sem fazer malabarismos com as classes do java.util, que deixam bastante a desejar.

Uma solução prática para este problema é o uso do JodaTime, projeto criado justamente para facilitar a manipulação de datas em Java. A biblioteca voltou a figurar nas notícias pois foi anunciado recentemente que a API de Data será reformulada para o Java 8, sob a especificação JSR 310, fortemente inspirada pelo JodaTime, já que um dos spec leaders é o próprio criador.

A especificação já existe há um bom tempo, inclusive conta com a participação do Fábio Kung, que já explicou em 2007 como seria a proposta. Porém, enquanto o Java 8 não chega, para resolvemos o problema, além do JodaTime.

Inicialmente, para obter uma data, basta instanciar um DateTime, que possui uma API bem completa e tem a vantagem de ser imutável. Ela representa um instante no tempo.

DateTime dataInicial = new DateTime(2012, 12, 1, 12, 0);
DateTime dataFinal = new DateTime(2012, 12, 28, 12, 30);
DateTime feriado = new DateTime(2012, 12, 25, 12, 0);

Essa classe funciona muito bem com a API do java.util, possuindo métodos toDate e toCalendar, além de um construtor que pode receber Date e Calendar.

Para calcular quantos dias existem entre uma data e outra, é muito simples:

int dias = Days.daysBetween(dataInicial, dataFinal).getDays();

Days.daysBetween devolve um objeto do tipo Days, que implementa a importante interface Period.

Vamos começar a complicar. Podemos calcular, de maneira análoga, a diferência de horas usando a classe Hours.

System.out.println(
  Hours.hoursBetween(dataInicial, dataFinal).getHours());

Aqui desprezamos os minutos, retornando apenas a quantidade de horas como um valor inteiro. Podemos usar a classe Minutes com BigDecimal.

BigDecimal minutos =
  new BigDecimal(Minutes.minutesBetween(dataInicial, dataFinal).getMinutes());
BigDecimal horas =
  minutos.divide(new BigDecimal("60"), 2, RoundingMode.HALF_UP);
System.out.println(horas); // 648,50h

Caso a gente vá calcular a diferença das datas em diversas unidades de tempo (horas, dias, minutos, etc), podemos utilizar a classe Duration, que tem um construtor que recebe dois instants (como DateTime) e depois permite recuperar a diferença na unidade temporal que você desejar.
Agora temos que descontar os feriados e finais de semana do período. Utilizaremos outras duas bibliotecas, que são relacionadas ao projeto JodaTimeObjectLab Holiday Calculation e Jollyday.

Primeiro passo é descobrir quais são os feriados no Brasil para o ano corrente. Vamos usar o Jollyday, que já vem com algum feriados e você pode customizar outros em um arquivo separado.

HolidayManager gerenciadorDeFeriados =
  HolidayManager.getInstance(de.jollyday.HolidayCalendar.BRAZIL);
Set<Holiday> feriados = gerenciadorDeFeriados.getHolidays(new DateTime().getYear());
Set<LocalDate> dataDosFeriados = new HashSet<LocalDate>();
for (Holiday h : feriados) {
    dataDosFeriados.add(new LocalDate(h.getDate(), ISOChronology.getInstance()));
}

Segundo passo é dado a lista de feriados dataDosFeriados, vamos utilizar o calendário do ObjectLab Holiday Calculation para descobrir se uma determinada data é dia útil, baseado tanto nos feriados quanto nos fins de semana. Fazemos isso através do método isNonWorkingDay

// popula com os feriados brasileiros
HolidayCalendar<LocalDate> calendarioDeFeriados
  = new DefaultHolidayCalendar<LocalDate>(dataDosFeriados);
LocalDateKitCalculatorsFactory.getDefaultInstance()
  .registerHolidays("BR", calendarioDeFeriados);
DateCalculator<LocalDate> calendario =
  LocalDateKitCalculatorsFactory.getDefaultInstance().
    getDateCalculator("BR", HolidayHandlerType.FORWARD);
// true - sábado
calendario.isNonWorkingDay(new LocalDate(dataInicial));
// false
calendario.isNonWorkingDay(new LocalDate(dataFinal));
// true - natal
calendario.isNonWorkingDay(new LocalDate(feriado));

Por fim, agora temos que descobrir quantos dias não úteis existem no período e descontar das horas já calculadas. Vamos caminhando de data em data e perguntando se ela é ou não dia útil. Se não for, incrementamos diasNaoUteis:

int diasNaoUteis = 0;
LocalDate dataInicialTemporaria = new LocalDate(dataInicial);
LocalDate dataFinalTemporaria = new LocalDate(dataFinal);
while (!dataInicialTemporaria.isAfter(dataFinalTemporaria)) {
    if (calendario.isNonWorkingDay(dataInicialTemporaria)) {
       diasNaoUteis++;
    }
    dataInicialTemporaria = dataInicialTemporaria.plusDays(1);
}

Se quisermos calcular o número de horas úteis entre essas datas, basta subtrair o total de horas que já calculamos de 24*diasNaoUteis:

System.out.println("Horas finais líquidas: " +
  horas.subtract(new BigDecimal(24 * diasNaoUteis)));

O código pode ser um pouco mais eficiente. Há uma outra solução para não precisar fazer um loop que passe por todas as datas do nosso intervalo. Podemos chamar HolidayManager.getHolidays() passando o intervalo das nossas datas, recebendo um Set. Invocando o size desse conjunto, temos o número de feriados do intervalo. Também calculamos quantos fins de semana tivemos, utilizando Weeks.weeksIn no nosso intervalo. Por último, precisamos tomar cuidado e verificar quais feriados cairam em fins de semana, para não contá-los duas vezes.

E você, como costuma resolver estes problemas? Vale lembrar que JodaTime possui integração com Hibernate e pode ser facilmente configurada no seu projeto. Também é fundamental pensar nos casos particulares quando escrever seus testes de unidade. É muito fácil você cair em situações estranhas, em especial se sua data possui horas e minutos, além de anos bissextos, feriados que caem em fins de semana, etc.

Fonte: Blog.Caelum – Raphael Lacerda

Como pegar tempo em milisegundos no Java

No java temos 2 jeitos de pegar o tempo em milisegundos:

Utilizando a classe Date – pelo método getTime();

 Utilizando a classe Calendar – pelo método getTimeInMillis().

___________________________________________________________________

import java.util.Calendar;
import java.util.Date;

public class TimeMilisecond {
  public static void main(String[] argv) {

      long lDateTime = new Date().getTime();
      System.out.println("Date() - Tempo em milisegundos: " + lDateTime);

      Calendar lCDateTime = Calendar.getInstance();
      System.out.println("Calender - Tempo em milisegundos :" + lCDateTime.getTimeInMillis());
  }
}

___________________________________________________________________

Fonte: Mkyong